OUTRO
31 mar - 2 abr

PALHAÇO RICO FODE PALHAÇO POBRE - SÃO LUIZ FORA DE PORTAS

João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira
Museu de Lisboa - Palácio Pimenta
Sexta, sábado e domingo 21h

Sinopse

SÃO LUIZ FORA DE PORTAS
CIRCO, TEATRO E MÚSICA - ESTREIA
31 mar - 2 abr
PALHAÇO RICO FODE PALHAÇO POBRE
João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira
Espetáculo inserido na Bienal BoCA 
Sexta, sábado e domingo 21h
€12 (com descontos €5 - €8,40)
Duração: 3h (aprox.)


Para este espetáculo, os  autores  recorrem  ao  imaginário circense  para  elaborar uma  parábola absurda  sobre  a  diferença,  o  estigma,  a  normatividade,  a discriminação  e  os  limites  do convencional, partindo de dois filmes essenciais para a  construção do seu imaginário em torno do circo - Freaks (1932) de Tod Browning e  Os Palhaços (1970) de Federico Fellini. Quer a dúbia duplicidade da categorização de “freak” exposta por Browning, quer a proposta de Fellini de uma visão do circo enquanto  metáfora  da  vida,  são  aqui  apropriadas  e  contextualizadas  numa sociedade atual onde, tal como o título indica, se utiliza a clássica divisão entre palhaços ricos e pobres para falar de um contexto económico de crise. O circo pelo seu caráter comunitário e nómada, com uma estrutura e vivência muito própria, apresenta-se como um último reduto de resistência à assimilação pela economia capitalista que caracteriza a sociedade ocidental. Movendo-se nas franjas da sociedade dita global responsável pela massificação de políticas económicas e organizações sociais cada vez mais ingerentes e normativas, o circo continua a ser uma metáfora de tudo o que é considerado diferente e desviante, sendo esse um dos temas centrais do espetáculo Palhaço Rico Fode Palhaço Pobre.

Direção, Cenários e Figurinos: João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira; Apoio à encenação: Diogo Bento; Interpretação: Cláudia Jardim, Daniel Seabra, Diogo Bento, Flávio Leihan, Gonçalo Beira, Ivo Silva, João Pedro Vale, Nuno Alexandre Ferreira, Paulo Duarte Ribeiro, Symone de la Dragma, Vânia Rovisco e Xana Novais; Banda Sonora Original: Jibóia; Pinturas: João Gabriel; Design: Nuno Neto; Desenho de luz: Daniel Worm; Desenho de som: Sérgio Henriques; Comunicação: Rita Bonifácio; Coordenação de produção: Cristina Correia; Assistência de produção: Vanda Cerejo.

Coprodução: Bienal BoCA, Teatro Municipal do Porto – Rivoli. Campo Alegre e São Luiz Teatro Municipal, em colaboração com o Museu de Lisboa - Palácio Pimenta. 

Espetáculo financiado por Governo de Portugal – Cultura/ Direção-geral das Artes

Sinopse

SÃO LUIZ FORA DE PORTAS
CIRCO, TEATRO E MÚSICA - ESTREIA
31 mar - 2 abr
PALHAÇO RICO FODE PALHAÇO POBRE
João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira
Espetáculo inserido na Bienal BoCA 
Sexta, sábado e domingo 21h
€12 (com descontos €5 - €8,40)
Duração: 3h (aprox.)


Para este espetáculo, os  autores  recorrem  ao  imaginário circense  para  elaborar uma  parábola absurda  sobre  a  diferença,  o  estigma,  a  normatividade,  a discriminação  e  os  limites  do convencional, partindo de dois filmes essenciais para a  construção do seu imaginário em torno do circo - Freaks (1932) de Tod Browning e  Os Palhaços (1970) de Federico Fellini. Quer a dúbia duplicidade da categorização de “freak” exposta por Browning, quer a proposta de Fellini de uma visão do circo enquanto  metáfora  da  vida,  são  aqui  apropriadas  e  contextualizadas  numa sociedade atual onde, tal como o título indica, se utiliza a clássica divisão entre palhaços ricos e pobres para falar de um contexto económico de crise. O circo pelo seu caráter comunitário e nómada, com uma estrutura e vivência muito própria, apresenta-se como um último reduto de resistência à assimilação pela economia capitalista que caracteriza a sociedade ocidental. Movendo-se nas franjas da sociedade dita global responsável pela massificação de políticas económicas e organizações sociais cada vez mais ingerentes e normativas, o circo continua a ser uma metáfora de tudo o que é considerado diferente e desviante, sendo esse um dos temas centrais do espetáculo Palhaço Rico Fode Palhaço Pobre.

Direção, Cenários e Figurinos: João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira; Apoio à encenação: Diogo Bento; Interpretação: Cláudia Jardim, Daniel Seabra, Diogo Bento, Flávio Leihan, Gonçalo Beira, Ivo Silva, João Pedro Vale, Nuno Alexandre Ferreira, Paulo Duarte Ribeiro, Symone de la Dragma, Vânia Rovisco e Xana Novais; Banda Sonora Original: Jibóia; Pinturas: João Gabriel; Design: Nuno Neto; Desenho de luz: Daniel Worm; Desenho de som: Sérgio Henriques; Comunicação: Rita Bonifácio; Coordenação de produção: Cristina Correia; Assistência de produção: Vanda Cerejo.

Coprodução: Bienal BoCA, Teatro Municipal do Porto – Rivoli. Campo Alegre e São Luiz Teatro Municipal, em colaboração com o Museu de Lisboa - Palácio Pimenta. 

Espetáculo financiado por Governo de Portugal – Cultura/ Direção-geral das Artes

Críticas

Não existem críticas.

Preçário

1

Descontos

50% 
Cartão Maria&Luiz
Maiores de 65 anos, pessoas com deficiência e acompanhante, desempregados,estudantes, profissionais do espectáculo, funcionários da CML e Empresas Municipais 

30% 
Grupos de 10 pessoas ou mais

20% 
Protocolos e acordos

€5
Menores de 30 Anos 

Nota: É favor fazer-se acompanhar de um documento que comprove o desconto à entrada.

Comentários

Não possui comentários. Envie o Seu !

stqqssd
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
 
BILHETEIRA
 
bilheteira@teatrosaoluiz.pt
Tel.  (+351) 213 257 650
Todos os dias, das 13h às 20h
Siga-nos no: facebook